You are currently viewing Maiores anunciantes políticos têm conteúdos sobre Bolsonaro e Ciro


Os gastos com anúncios políticos feitos no Google entre 17 de novembro de 2021 e 20 de julho de 2022, conforme divulgação contínua da plataforma de transparência da empresa, ultrapassou R$ 1,385 milhão — sendo o principal anunciante uma produtora de conteúdo e filmes de teor conservador.

A Brasil Paralelo, criada há seis anos por um trio de universitários de Porto Alegre, gastou R$ 411 mil com anúncios no período relatado — o Google atualiza diariamente o valor investido por empresas ou partidos políticos. O anúncio com maior impulso foi uma publicação que criticava a imprensa e pedia assinaturas para a produtora.

No lançamento da plataforma do Google, feito no mês passado, a Brasil Paralelo já ocupava o topo do ranking de maior quantia paga em anúncios. Em nota enviada a uma reportagem da Folha de S.Paulo sobre o tema, a empresa afirmou que “jamais apoiou formal ou informalmente qualquer partido, candidato ou movimento político, e tem sua operação completamente voltada ao serviço de entretenimento e educação por streaming“.

A produtora também teria solicitado ao Google a correção do relatório de transparência por classificar os anúncios como “políticos”.

Em seguida, aparece o primeiro partido: o PSDB, que gastou R$ 241 mil, investiu a maior quantia (entre R$ 60 e R$70 mil) em um anúncio que destaca a atuação do ex-governador de São Paulo, João Doria, para trazer a vacina Coronavac ao Brasil — desenvolvida em conjunto com o Instituto Butantan.

O anúncio foi exibido entre 18 e 25 de maio, quando Doria ainda não havia desistido da corrida presidencial.

O PSB do Rio de Janeiro vem em terceiro lugar, com R$ 179 mil investidos. A maior fatia foi para um anúncio que destacava o pré-candidato do governo do estado pela sigla, Marcelo Freixo, com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que disputa o Palácio do Planalto.

No ranking dos 10 maiores gastos com anúncios políticos do Google, estão também o União Brasil, Thiago Barros Rodrigues Costa —que faz pesquisas de avaliação do governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) —, e a empresa Newsletters Digital A Voz do Brasil, que anuncia vídeos associados ao pré-candidato do PDT, Ciro Gomes.

Veja o ranking:

  1. Brasil Paralelo: R$ 411 mil
  2. PSDB: R$ 241 mil
  3. PSB (Rio de Janeiro): R$ 179 mil
  4. União Brasil: R$ 109 mil
  5. Thiago Barros Rodrigues Costa (pesquisas sobre Bolsonaro): R$ 86 mil
  6. Newsletters Digital A Voz do Brasil (conteúdos sobre Ciro Gomes): R$ 82 mil
  7. MDB: R$ 59,5 mil
  8. PP: R$ 32 mil
  9. União Brasil (Alagoas): R$ 30 mil
  10. Weverton Rocha Marques de Sousa (senador do Maranhão pelo PDT): R$ 16,5 mil

Transparência nas eleições motivou divulgação, diz Google

O diretor de políticas públicas e relações governamentais do Google Brasil, Marcelo Lacerda, estimou que a ferramenta seria útil para os cidadãos saberem quem está fazendo campanhas de publicidade com foco nas eleições deste ano.

“Em outubro, os brasileiros vão às urnas para mais uma Eleição e, como parte de nosso compromisso com a integridade do processo eleitoral no Brasil, temos trabalhado em uma série de novidades para conectar os eleitores com informações importantes […] e, assim, permitir uma participação social mais informada”, afirmou em nota quando os primeiros dados foram divulgados.

Além do Brasil, Austrália, Estados Unidos, Índia, Israel, Nova Zelândia, Reino Unido, Taiwan e União Europeia integram a plataforma de transparência.

*Com informações de Gabriel Daros, de Tilt, do UOL





Source link

Deixe um comentário