You are currently viewing Ucrânia e Rússia criam corredor marítimo para exportação de grãos – 22/07/2022


Ancara, 22 jul (EFE).- Ucrânia e Rússia assinaram nesta sexta-feira um acordo em Istambul – supervisionado pela Turquia e pelas Nações Unidas – para a exportação de grãos ucranianos através de um corredor marítimo, o que deverá aliviar a crise alimentar global causada pelo bloqueio naval russo aos portos do país vizinho no Mar Negro.

O acordo permitirá aos navios de carga exportar a partir de três portos ucranianos – Odessa, Pivdennyi e Chornomorsk – cerca de 22 milhões de toneladas de trigo, milho e outros grãos armazenados em silos.

O ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu e o ministro da Infraestrutura da Ucrânia, Oleksandr Kubrakov, assinaram o acordo de Istambul, embora nunca tenham se sentado à mesma mesa ao mesmo tempo.

O pacto foi intermediado pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, e pelo presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

Este é o primeiro grande acordo entre os dois países em guerra desde o início da invasão russa ao território ucraniano, em 24 de fevereiro, e espera-se que amenize uma crise forjada por um bloqueio naval e sanções contra a Rússia que também fizeram disparar o preço dos fertilizantes e da energia.

“Ela trará alívio aos países em desenvolvimento à beira da falência e às pessoas mais vulneráveis à beira da fome. E isso ajudará a estabilizar os preços mundiais dos alimentos, que já estavam em níveis recordes mesmo antes da guerra”, disse Guterres sobre a importância do pacto.

O acordo criou um Centro Conjunto de Coordenação para verificar a implementação do acordo, que prevê inspeções da ONU e da Turquia em navios que entram e saem do mar Negro, em resposta aos temores russos de que os navios possam estar carregando armas para a Ucrânia.

Ainda serão necessárias “algumas semanas” para implementar o acordo, disse uma fonte sênior da ONU sobre o conteúdo.

“Nossa meta é a exportação de 5 milhões de toneladas por semana”, acrescentou.

Se esse nível de exportação for atingido, os silos ucranianos seriam esvaziados em cerca de um mês, uma vez iniciada a implementação.

“Temos que ir rápido, é claro, temos que esvaziar os silos, porque em breve haverá uma nova colheita na Ucrânia”, explicou a fonte.

A Rússia e a Ucrânia estão entre os líderes mundiais na exportação de grãos – por exemplo ambos vendem um terço da oferta mundial de trigo.

A Ucrânia também é um grande exportador de milho, cevada e girassol, enquanto a Rússia e Belarus, que apoiou Moscou na guerra e também está sob sanções, representam mais de 40% das exportações mundiais de cloreto de potássio, um muito importante fertilizante =.

Guterres disse que outro aspecto do acordo é “facilitar o acesso sem obstáculos de alimentos e fertilizantes originários da Federação Russa aos mercados mundiais”.

Embora os alimentos e fertilizantes russos não estejam sujeitos a sanções, os bancos e intermediários preferem não lidar com empresas russas para evitar problemas, o que tem levado a uma queda na oferta e preços mais altos. EFE





Source link

Deixe um comentário